terça-feira, 21 de agosto de 2012

trezentosesessentaecinco

E aí olhamos pra trás.
Pro que está logo ali, que acabou de passar.
Louco é ver que se segue em frente carregando mais de tudo isso.
E se caminha muito pra chegar dois passos além do abismo, mas hoje tocamos o chão com os pés e sem ter que sujar as roupas de lama; Existe estrada, com suas pedras, verdade seja dita, mas é terra boa que dá fruto na árvore dos sonhos e não deixa a chuva molhar além do que se deve.
As coisas mudam muito com o tempo.
Não.
A maneira como enxergamos as coisas mudam muito com o tempo, como sentimos e expressamos também.
Depois de um certo tempo você percebe que não precisa abaixar a cabeça para lamentar, e quando se tem alguém ao lado percebe que muitas vezes não é só você que precisa de um ombro amigo... A mágica se dá aí: Metade de um ombro que se oferece, metade do mesmo ombro que se apóia em um rosto.
Por tantas vezes sem saber o que falar preferi me esconder em alguns versinhos disfarçados.
Hoje não consigo mais.
Hoje você não cabe mais no que eu escrevo, é preciso também dizer.
Amanhecemos de novo pra tentar sem a cobrança do que não deu certo e passou.
Viver não é mais uma esperança, um anseio... Tá tudo aí, da porta pra dentro, espalhado pela mesa, na roupa pendurada... Tudo que eu sempre construí na areia porque sabia que o mar ia derrubar agora ta aí, da porta pra dentro e não é mais de areia, é de você que é feito o que ninguém tem força pra derrubar.

5 comentários:

Letícia Mustafá disse...

"Tão profundo...
Em certos momentos de nossas vidas, ao se ler algo tão profundo, faz com que se tenha força para seguir em frente e jamais desistir...
Parabéns, arrasou"

Lu Bollina disse...

Não sabia que escrevia, Thiago! Que lindo... Parabéns! Qdo der me visite tbm: www.bollinadestin.blogspot.com.br
Beijos!

Oscar Calixto disse...

Muito legal, rapaz! Cada vez mais maduro o que escreves! Saudades de ti!

Abraço!

Paulo Ruch disse...

E aí, Thiago. Puxa, já estava sentindo saudades dos seus textos. Que bom que voltou a escrever. Mas é assim mesmo. Passamos um tempo sem fazê-lo, e de repente vem aquela vontade irrefreável que nos impele a organizar as palavras que façam algum sentido para nós e para os outros. Vamos ao que escrevera. A vida é louca de fato. O tempo passa rápido. Olhamos para trás, e nos espantamos com o que já temos que carregar em nossa memória. Sejam coisas boas, ruins ou indiferentes. Gostei quando se referiu à estrada que temos que seguir: a "estrada com sua terra boa que dá frutos na árvore dos sonhos e não deixa a chuva molhar além do que se deve." Acho que a vida e as pessoas fazem com que mudemos a nossa forma de enxergar e sentir as coisas. Nossa, Thiago, como precisamos de ombros. Saber que temos as duas metades de um mesmo ombro para nos amparar só faz com que nos sintamos mais corajosos para seguir em frente. É uma mágica como disse. E pode ter certeza que esse ombro existe para você. Um ombro no rosto levanta qualquer ser humano. Aliás, não precisa de versinhos disfarçados para dizer o que pensa. Sabe por quê? É forte, bravo, tem personalidade, sabe sim o que quer. Talvez não consiga mais este artifício porque evoluiu. E será mesmo que essa pessoa não cabe mais no que escreve? Pense direito. Talvez ela esteja mais presente ainda do que antes. Dizer que não deu certo e passou pode me parecer um pouco radical, ressentido, precipitado. Não devemos apagar as coisas assim de modo abrupto de nossos caminhos. Não diga "não deu certo". Não seria melhor dizer "não estava na hora?" Sim, Thiago, eu sempre travo uma luta feroz para manter a esperança num mundo injusto no qual as coisas são tão fáceis para alguns, e árduas para outros. Chegando ao final, gostei mais ainda. Ninguém te derruba, Thiago. Se tentarem, vão desistir. E se precisar de alguém que lhe dê um apoio moral, estou aqui. Um forte abraço, e que Deus lhe ilumine sempre, preservando os seus potenciais.

Jônatas disse...

Traduzir a vida em palavras não é tarefa fácil. Seja sempre verdadeiro com você e seus textos. Precisamos de pessoas assim.
Te acho um verdadeiro e genuíno ARTISTA.
Grande abraço.